Bhāvana Namaḥ: "Só por hoje!" a Sintonia Integral com a Luz do Coração (Śraddhā)

 Bhāvana Namaḥ: "Só por hoje!" a Sintonia Integral com a Luz do Coração (Śraddhā)
Steve Jobs, admirador de Yogananda e da filosofia do coração.
Regra, lei, justiça, justeza, juízo, lógica, sistema, plano, adequação, método, modelo, axioma – tudo isto traduz "nyāya" e expressa o que queremos formular aqui. Trata-se de aferir e verificar o cumprimento da disciplina espiritual a partir da sintonia fina da mente com o sagrado no coração.

I. Śraddhā: Conduta em Sintonia com o Sagrado no Coração

A conduta orientada por śraddhā revela os cinco componentes da disciplina espiritual, tratados no texto anterior e resumidos a seguir, sobre os quais se deve refletir durante o processo de identificação e correção dos desvios que nos afastam do caminho do coração – aquele cujo sentido é  sentir o aqui e o agora:

1. Saṃkalpa: A firme resolução da faculdade da vontade de não se afastar da meta suprema;
2. Ṛṣi-nyāsa: Certificar-se de estar revestido pela manifestação cósmica da Vontade Suprema;
3. Viniyoga: Lembrar-se sempre que todo o imprevisto é apenas uma nova oportunidade para se desenvolver e adaptar métodos específicos para cada nova situação que exige um novo primeiro passo no sentido da convergência para a meta;
4. Satya Tyāga: Certificar-se de estar inteiramente consagrado à manifestação da Vontade Suprema, renunciando (samnyāsa) de forma impessoal a todas as coisas que impeçam a entrega (tyāga) de si mesmo ao Supremo; e
5. Upasthāna: O agradecimento pelo estado de sintonia com o Supremo. Quando surge um imprevisto, se nos lembrarmos de sermos gratos por ele, ganhamos uma nova oportunidade para recuperar o estado de Sākśī Bhāvana.

Śraddhā designa este quíntuplo poder de convergência para a meta (Brahma-sāmīpya), oriundo da faculdade da vontade e manifesto como a convicção íntima, o ardor e a luz do coração que ilumina e dá foco à razão. Representa a conduta (karma) orientada pela precedência de Śreyas (anseios superiores) sobre Preyas (anseios de origem emocional) e o nosso compromisso definitivo (Ananta he!)  em  não permitir que se profanem os ambientes e os espaços interiores e exteriores sob a nossa guarda.

II. Nyāya Ekatāla: Aferição da conduta e da sintonia com o sagrado no coração (Atenção Plena).

1. Bhāvana Namaḥ! "Só por hoje", comprometo-me, integralmente, com a rendição (Namaḥ) de todo o meu ser à percepção amorosa do instante presente, onde se dá a unidade do mundo e de todas as coisas (Bhāvana).

2. Bhāvana Namaḥ! "Só por hoje", comprometo-me, integralmente, em manter o foco e a atenção no sentimento de Bhāvana, certificando-me, deste modo, de estar, plenamente, estabelecido em Sākśī Bhāvana.

3. Bhāvana Namaḥ! "Só por hoje", comprometo-me, integralmente, com este sentido do jejum de pensamentos, palavras, alimentos dos sentidos, que nos leva a sentir a imanência do amor universal e, consequentemente, a experimentar do sentimento de  compaixão com todos os seres.

4. Bhāvana Namaḥ! "Só por hoje", comprometo-me, integralmente, em me dirigir aos meus afazeres com atenção plena aos sinais e aos chamados do cotidiano para a intensificação e aprofundamento da prática ininterrupta de Bhāvana -- a disciplina de convergência para o Ser (Brahma-sāmīpya) que expressa o amor universal em ação e promove a gradual transmutação das energias materiais que alimentam os cinco sentidos e a mente ao longo do dia, suprindo o corpo de Prāṇa (energia vital).

5. Bhāvana Namaḥ! Entrego-me, agora, de todo o coração, ao cumprimento dos meus deveres e à busca da perfeição no trabalho, em cada minúscula ação. Se neste meu esforço de quitação das três dívidas (débito com a esfera das deidades das quais herdamos a nossa própria identidade espiritual; débito com os sacerdotes, gurus, sábios e santos que nos deixaram como herança cultural o conhecimento espiritual; e débito com os nossos ancestrais, que possibilitaram o nosso nascimento neste mundo) houver algo de impuro, impróprio, inadequado, ou que seja excessivo, rogo aos nobres seres do plano divino que me perdoem.

III. Rotina (Abhyāsa)

1. Saudação Inicial e Dhyāna (Meditação). Encerrar antes das 06h00.
2. Alimentação vegetariana, minimalista e simples, sem  laticínios, açúcar, etc.
3. Diário, Agenda e Pendências de E-mail. Encerrar antes das 08h00.
4. Nyāya EkatālaAferição da conduta e da sintonia com o sagrado no coração (Atenção Plena).
5. Iśvara Prajñāstra (Trabalhos de Convergência). Encerrar antes das 18h00.
6. Haṃsa Gati (A Marcha do Cisne): o exercício do sentimento de Bhāvana e da Atenção Plena ao momento presente, sem destino ou meta, a não ser a sintonia, por meio do  Haṃsa Prāṇāyāma, do alento vital com o coração do mundo. Encerrar antes das 20h00.
7. Karma EkatālaAferição da Reta Conduta seguida de curta Meditação (Dhyāna). Encerrar antes das 21h30.

IV. Pequenas Observâncias Litúrgicas (cuidados para não perder a sintonia com o sagrado)

1. Minimalismo e Simplicidade. Reduzir as necessidades ao essencial. Alimentação vegetariana simples. Pouco sal, temperos e condimentos. Ausência de açúcar. Minimizar a interferência de ruídos externos (TV, rádio, redes sociais, telefone celular, etc.) Repensar mobilidade, moradia, biblioteca e recursos digitais. Reduzir vestuário; tipos, cores. Convergir para a marca-uniforme.
2. Estabelecer e agendar as prioridades. Agendar as prioridades ao invés de priorizar o que está na agenda.
3. Minimizar o número de decisões a se tomar.  Elaborar listas curtas (to-do-task-lists e follow-up).
4. Estabelecer um cronograma de trabalho e uma rotina flexível (a partir de ferramentas de gestão -- Wunderlist,  Google Calendar, etc.), tendo como bússola, unicamente, o coração.


Próximo texto: Convergindo para a Pura Morada do Ser
Texto inicial: Blog no ar sob a égide de "Śraddhā Quaerens Intellectum"

Rio de Janeiro, 29 de setembro de 2016
(atualizado em 13.10.17)

(Ātma-Yoga Mārga)